Tabagismo e Doença Vascular – Dados da Organização Mundial da Saúde, OMS estimam que o tabagismo é uma prática presente na vida de 1 bilhão de pessoas ao redor do mundo. Destas, 8 milhões não resistem aos efeitos negativos que fumar causa ao organismo humano.

Apesar de ser mais associado a doenças pulmonares, o tabagismo também é responsável por outras condições como doenças cardíacas e doenças vasculares. Continue a leitura deste artigo e entenda melhor a relação entre o cigarro e os danos aos seus vasos sanguíneos.

Tabagismo e Doença Vascular

O tabagismo está diretamente ligado a produtos químicos e de alta toxicidade. Ao todo são mais de 600 ingredientes que compõem um cigarro, a maioria comprovadamente causadora de cânceres, e outros considerados como venenos.

Quando uma pessoa fuma, seu organismo sofre diversas alterações, entre elas os danos arteriais, acarretando quadros como infartos, doenças vasculares periféricas e derrames. O tabaco e a nicotina são os principais ingredientes de um cigarro. Quando ingeridos podem causar aceleração do ritmo cardíaco, aumento da pressão arterial e diminuição das artérias ao longo do corpo. Isso significa que a circulação sanguínea se torna mais difícil devido a dificuldade do coração bombear o sangue por meio das artérias contraídas.

Fumar também acelera os processos da aterosclerose, condição que promove o endurecimento e estreitamento das artérias, contribuindo também para a formação de coágulos capazes de obstruir as veias causando trombose e até mesmo originar quadros de embolia.

Tabagismo e a Doença Arterial Periférica

A doença arterial periférica, conhecida também como DAP, é caracterizada pelo entupimento das artérias responsáveis por levarem o sangue para os membros inferiores e superiores (pernas e braços).

Todas as artérias do corpo humano são suscetíveis aos efeitos causados pela nicotina. Pacientes com DPA estão mais propensos a enfrentar dores ao caminhar, gangrena e amputações caso o paciente não abandone o vício do tabagismo.

Tabagismo e Vasos Sanguíneos

Ao contrário do que muitos imaginam, diminuir a quantidade de cigarros tragados durante o dia não resolve o problema dos danos apresentados internamente em seu corpo, isso porque a maioria das substâncias presentes no cigarro podem levar mais de 32 horas para sair completamente do organismo, como é o caso do benzeno.

Parar de fumar pode trazer diversos benefícios ao longo do tempo. Estima-se que após três semanas sem usar nenhum tipo de cigarro, exista uma melhora significativa na circulação sanguínea, pulsação e até mesmo no nível de oxigenação.

No primeiro ano após a interrupção do tabagismo, a circulação e as funções pulmonares aumentam e há uma diminuição na tosse, congestão nasal e falta de ar. Se você é ou foi fumante, é importante buscar ajuda de um médico vascular para avaliar os possíveis danos que o vício causou no seu organismo.

Mais Informações sobre Tabagismo e Doença Vascular na Internet: