Embolia pulmonar é uma condição que ocorre quando um coágulo sanguíneo formado em alguma parte do corpo (geralmente perna ou braço) se move pela corrente sanguínea e se aloja nos vasos pulmonares. Isso faz com que haja restrição do fluxo sanguíneo para este órgão, além de reduzir os níveis de oxigênio e aumentar a pressão sanguínea nas artérias pulmonares.

Continue a leitura e conheça as causas, sintomas e tratamento desta grave condição.

Em que Consiste a Embolia Pulmonar

Quando um coágulo se desenvolve na veia e permanece lá, é chamado trombo. Se ele se desprender da parede da veia e viajar para outra parte do corpo, é chamado de embolia. Uma embolia pulmonar ocorre quando este coágulo viaja pela corrente sanguínea até o pulmão.

A formação de coágulos pode ocorrer quando o sangue se acumula em uma determinada parte do corpo (geralmente um braço ou perna). O acúmulo de sangue ocorre quando os fatores de coagulação no sangue aumentam. Esses fatores elevados podem ocorrer como resultado de diversas condições.

Causas e Fatores de Risco

As pessoas em risco de desenvolver um coágulo sanguíneo são aquelas que:

  • Estão inativas ou imóveis por longos períodos de tempo, devido a repouso ou cirurgia;
  • Apresentam histórico pessoal ou familiar de distúrbio da coagulação sanguínea, como trombose venosa profunda (TVP);
  • Tem histórico de câncer ou estão recebendo quimioterapia;
  • Ficam sentadas por períodos prolongados;
  • Tenham histórico de insuficiência cardíaca ou AVC;
  • Estão com excesso de peso;
  • Tiveram recentemente trauma ou lesão de uma veia, possivelmente após uma cirurgia recente, fratura ou devido a varizes;
  • Estão grávidas ou deram à luz nas 6 semanas anteriores;
  • Estão tomando pílulas anticoncepcionais ou terapia de reposição hormonal;
  • Possuem cateteres venosos nos braços ou pernas.

Sintomas

Os sintomas de embolia pulmonar variam, dependendo da gravidade do coágulo, podendo incluir:

  • Falta súbita de ar;
  • Dor aguda inexplicável no peito, braço, ombro, pescoço ou mandíbula;
  • Pele pálida, pegajosa ou de cor azulada;
  • Batimento cardíaco rápido;
  • Tosse com ou sem sangue;
  • Suor excessivo;
  • Em alguns casos, ansiedade, tontura ou desmaio;
  • Chiado no peito.

Também é possível ter um coágulo sanguíneo e não apresentar sintomas; portanto, discuta seus fatores de risco com seu médico. Se você tiver algum sintoma de embolia pulmonar, como os listados acima, procure atendimento médico imediatamente.

Tratamento

O tratamento para embolia pulmonar é normalmente realizado em um hospital, onde sua condição pode ser monitorada de perto. A duração do tratamento e hospitalização varia, dependendo da gravidade.

Dependendo da sua condição médica, as opções de tratamento podem incluir medicamentos anticoagulantes, terapia trombolítica, meias de compressão e, às vezes, procedimentos cirúrgicos ou de intervenção para melhorar o fluxo sanguíneo e reduzir o risco de futuros coágulos sanguíneos.

Procedimentos

Se uma embolia pulmonar tiver risco de vida, seu médico poderá recomendar:

  • Cirurgia para remover o coágulo da artéria pulmonar;
  • Um procedimento intervencionista no qual um filtro é colocado dentro da veia cava para que os coágulos possam ficar presos antes de entrarem nos pulmões;
  • Terapia trombolítica – Medicamentos trombolíticos são usados ​​para dissolver o coágulo. Sempre são administrados em um hospital onde o paciente pode ser monitorado de perto.

Prevenção

Certifique-se de discutir e entender seus cuidados de acompanhamento com seu médico. Além disso, siga as recomendações abaixo para reduzir o risco de uma embolia pulmonar:

  • Exercite-se regularmente. Se você não puder caminhar devido a repouso ou viagens prolongadas, mova os braços, pernas e pés por alguns minutos a cada hora;
  • Se você sabe que precisará ficar sentado ou em pé por longos períodos, use meias de compressão para melhorar o fluxo sanguíneo;
  • Beba bastante líquido, especialmente água, mas evite o excesso de álcool e cafeína;
  • Não fume;
  • Evite cruzar as pernas;
  • Não use roupas apertadas;
  • Perca peso se necessário;
  • Eleve as pernas sempre que possível.

Converse com seu médico cirurgião vascular sobre como reduzir seus fatores de risco, especialmente se você ou algum membro da sua família já tiver sofrido um coágulo sanguíneo.

Referência: NHS