Varizes na Gravidez. Ao descobrirem uma gravidez, as mulheres tendem ser invadidas por um misto de sensações que varia de acordo com a realidade de cada uma. E algumas podem precisar lidar com uma questão a mais: o aparecimento de varizes.

Entretanto, uma parcela tende a experimentar dilatação ou aumento anormal das veias superficiais dos membros inferiores e das extremidades inferiores durante a gestação.

Varizes na Gravidez

Naturalmente, as veias superficiais das pernas têm válvulas unidirecionais que auxiliam na locomoção do sangue da região dos membros inferiores até o coração. E quando uma mulher está grávida, ocorrem diversos fatores fisiológicos, como crescimento do útero, que exerce uma força descendente no fluxo de sangue venoso, levando ao aumento dessas veias e à sua visibilidade.

Outra causa para o surgimento de varizes na gravidez é que o volume de sangue no corpo aumenta em até 20%, enquanto o número de veias permanece inalterado, o que significa mais trabalho para o sistema vascular. Além disso, costumam aparecer no último trimestre por causa do sedentarismo, das alterações hormonais e do aumento de peso e do volume de sangue circulando no organismo.

Sem contar que os picos de progesterona e hormônios que relaxam os ligamentos da pelve, e as células musculares lisas nas paredes das veias dificultam o trajeto sanguíneo. Desta forma, acontece um ciclo vicioso, em que as veias dilatam, gerando contrapressão nas válvulas que fazem com que acabem se dilatando ainda mais, tornando-as menos eficazes.

Atenção e Cuidados

Como uma forma de minimizar as varizes que aparecem durante a gravidez ou controlá-las, assim como os sintomas de mudança estética, coceira, alteração de sensibilidade na região, dor nos membros inferiores ou na virilha, sensação de peso nas pernas, vermelhidão e inchaço, o médico especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular tende a indicar alguns cuidados, incluindo:

  • Evitar permanecer por longo período de tempo na mesma posição;
  • Elevar as pernas ao sentar;
  • Colocar um banquinho baixo ao ficar sentado para apoiar um dos pés;
  • Evitar se sentar com as pernas cruzadas;
  • Realizar atividade física regularmente;
  • Priorizar peças de roupa confortáveis e que não prendam a circulação (o mesmo é válido para os acessórios);
  • Manter o peso conforme a indicação do especialista;
  • Priorizar dormir do lado esquerdo, evitando a pressão nos principais vasos sanguíneos e mantendo a fluidez da circulação;
  • Evitar esforço físico para não sobrecarregar as veias;
  • Manter uma dieta equilibrada, incluindo a dose diária de vitaminas, conforme a orientação médica.

Prevenção de Varizes Durante a Gestação

Diga Adeus às Dores nas Pernas.
Reserve a sua Consulta Vascular.

Em alguns casos, o profissional pode recomendar que a paciente faça uso de meias de compressão, inclua ou mantenha a prática de exercícios, massageie os pés e as pernas no final do dia, utilize meias elásticas e eleve os pés diariamente, principalmente ao dormir. Porém, não há uma maneira exata de evitar o surgimento de varizes, mas tais práticas podem ajudar a controlá-las ou tentar evitá-las.

Além disso, é válido explicar que nas mulheres que não tinham varizes antes de engravidar, elas tendem a diminuir ou desaparecer completamente alguns meses após o parto. Mas como um dos fatores de risco para o seu acometimento é a hereditariedade, as chances de surgirem são aumentadas se a sua mãe foi acometida durante a gestação.

Quando Procurar Ajuda Médica?

O aconselhável é que a paciente procure ajuda médica assim que perceber as varizes. Desta forma, o tratamento pode ser iniciado, o que envolve a aplicação alternada de água quente e fria no local acometido, compressa gelada para diminuir a dor e contrair as veias, e o uso de meias elásticas com o intuito de auxiliar na circulação sanguínea.

Sem contar que é importante contar com o auxílio de um médico especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular porque, como existe relação geral entre varizes e o risco de TVP (trombose venosa profunda) ou coágulos de sangue, o profissional responsável pelo acompanhamento deve estar ciente da sua condição. Principalmente, se não desaparecerem após o parto, sendo necessário tratá-las clinicamente ou removê-las por meio de uma intervenção cirúrgica para evitar possíveis complicações.

Mais informações sobre este assunto na Internet:

Artigo Publicado em: 29 de jan de 2020 e Atualizado em: 14 de julho de 2023

Diga Adeus às suas Dores.
Reserve a sua Consulta de Hematologia.