Você já ouviu falar na Tromboflebite Superficial (TS), também conhecida como Trombose Venosa Superficial? A trombose venosa superficial se trata de uma inflamação, geralmente causada por um coágulo sanguíneo em uma veia superficial (localizada abaixo da pele), que, geralmente, atinge as regiões dos braços (na presença de um cateter IV) ou das pernas (resultado das varizes).

Achou uma explicação muito vaga? Continue acompanhando este artigo para saber mais sobre a Trombose Venosa Superficial, suas causas, sintomas, como é feito o diagnóstico e as formas de tratamento.

Entendendo o Conceito de Trombose Venosa Superficial

Trombose significa coágulos de sangue com reação inflamatória aguda, os quais fazem com que o coágulo sanguíneo se prenda à parede da veia, reduzindo assim, a probabilidade de que ele se solte.

As veias superficiais estão localizadas acima da fáscia muscular e não possuem músculos ao seu redor capazes de comprimir e de desalojar um coágulo (trombo). Por isso que, raramente, acontece o desprendimento de um trombo (embolia).

Logo, a Trombose Venosa Superficial (TVS) surge por causa da formação de um coágulo dentro de uma veia superficial, acompanhada de uma reação inflamatória da parede e dos tecidos vizinhos. Ela pode ocorrer em varizes nas pernas ou em veias que foram manipuladas para retirar sangue ou para injetar soro e medicamentos, por exemplo.

Os coágulos podem se desenvolver por diversas razões que incluem o impedimento correto da circulação sanguínea, como:

  • Lesão em uma veia ou em uma artéria;
  • Distúrbio de coagulação do sangue;
  • Ficar sem se mexer por um longo período de tempo.

Quando a Tromboflebite Superficial ocorre diversas vezes em veias normais, chamamos de flebite migratória ou de tromboflebite migratória. Este evento pode ser o indício de uma doença grave subjacente, como um câncer de um órgão interno. A partir do momento em que aparecem juntos, a condição é denominada síndrome de Trousseau.

Sintomas

Para identificar a TVS é preciso estar atento a alguns sinais, como:

  • Dor e inchaço de início imediato na região inflamada;
  • Vermelhidão na pele que fica sobre a veia;
  • Área afetada quente e sensível;
  • Aspecto de cordão duro sob a pele;
  • Veia rígida ao longo de seu comprimento.

Forma de Diagnosticar

O diagnóstico é feito após uma avaliação médica, em que o profissional de saúde reconhece a trombose venosa superficial pelo seu aspecto. Os exames laboratoriais e de imagens só são necessários nos casos em que ela aparece acima do joelho e de forma súbita. Além disso, os especialistas solicitam uma ultrassonografia para verificar se há ou não um coágulo de sangue nas veias profundas.

Tratamento

Na maioria dos casos, a trombose venosa superficial desaparece sozinha, não havendo assim, a necessidade de um tratamento específico. Porém, para alívio da dor, é recomendado aplicar compressas mornas, manter os membros inferiores elevados e fazer o uso de analgésico, como a aspirina ou outro medicamento anti-inflamatório não-esteroide.

E vale lembrar que pode haver situações em que haja uma demora (semanas) para que as protuberâncias e a sensibilidade sumam por completo. Por isso, o médico pode acabar medicando os pacientes que foram diagnosticados com trombose venosa superficial extensa com heparina ou com um anticoagulante para que eles ajudem a limitar a coagulação do sangue.

Mas tudo isso só pode ser indicado por um médico especialista que irá analisar cada caso individualmente e optar, juntamente com o paciente, pela melhor forma de cuidar da sua situação. Então, ao menor sinal de que há algo de errado, procure ajuda.

Referência: Blood