Trombofilia na Gravidez. A gravidez é um estado de hipercoagulabilidade bem conhecido e as trombofilias podem aumentar ainda mais o risco de tromboembolismo venoso materno. No entanto, alguns cuidados e monitoramento adequado podem ajudar a garantir que você tenha uma gravidez normal.

Neste artigo, saiba mais sobre a trombofilia, as complicações que pode causar durante a gravidez e como podemos evitá-las.

Em que Consiste a Trombofilia

Trombofilia é qualquer condição de saúde que aumenta o risco de desenvolver coágulos sanguíneos anormais. Cerca de 20% dos adultos têm trombofilia, embora muitos não percebam.

Também chamado de estado de hipercoagulabilidade, pode acontecer se o seu corpo produzir muita proteína de coagulação. Também pode acontecer se você não produzir proteínas suficientes cujo trabalho é interromper o processo de coagulação.

Em alguns casos, as proteínas do coágulo podem não se dissolver mesmo depois de não serem mais necessárias. Em outros casos, seu corpo produz proteínas que danificam as paredes dos vasos sanguíneos.

A trombofilia pode bloquear os vasos sanguíneos e cortar o oxigênio para seus tecidos ou órgãos. Pode levar a condições como:

  • Trombose venosa profunda (TVP);
  • Coágulo de sangue na perna;
  • Embolia pulmonar (um coágulo de sangue que viaja para os pulmões). Também pode causar um ataque cardíaco ou um AVC.
Diga Adeus às Dores nas Pernas.
Reserve a sua Consulta Vascular.

Possíveis fatores de risco para trombofilias incluem:

  • Uma predisposição genética para distúrbios de coagulação do sangue;
  • História familiar de acidente vascular cerebral, trombose venosa profunda ou embolia pulmonar;
  • Presença de bloqueio dos vasos sanguíneos em uma idade jovem;
  • Síndrome antifosfolípide, uma imunodeficiência adquirida que faz com que o corpo ataque certos tipos de gorduras nos vasos sanguíneos.

Trombofilia na Gravidez

A maioria das mulheres com trombofilia pode ter gestações normais. Entretanto, a condição pode causar problemas graves e colocar seu bebê em risco.

Se você está grávida ou planeja engravidar, as trombofilias podem levar a uma série de complicações, incluindo aborto espontâneo e natimorto.

Os coágulos sanguíneos bloqueiam o transporte de oxigênio e nutrientes importantes pelo corpo, o que pode ter um impacto extremamente prejudicial no feto.

Complicações

A trombofilia pode levar a uma série de complicações graves para as mulheres grávidas.

Algumas dessas complicações podem incluir:

  • Restrição de crescimento intrauterino – Esta condição impede que um embrião cresça adequadamente no útero;
  • Insuficiência placentária – Isso ocorre quando a placenta não fornece nutrientes e oxigênio suficientes para o embrião ou feto;
  • Pré-eclâmpsia – Esta condição é caracterizada por pressão alta e sinais de danos a órgãos como fígado e rins;
    Parto prematuro – Um risco aumentado de coágulos sanguíneos pode muitas vezes resultar em seu filho nascer antes da 37ª semana de gravidez;
  • Aborto e natimorto – Aborto e natimorto ambos se referem a fetos que morrem enquanto ainda estão no útero. Abortos ocorrem antes da marca de 20 semanas, enquanto natimortos ocorrem após 20 semanas, mas antes do nascimento.

Opções de Tratamento para Gestantes com Trombofilia

É essencial lembrar que você pode ter uma gravidez saudável apesar da trombofilia. A melhor maneira de garantir a saúde do seu bebê é tomar medidas para prevenir coágulos sanguíneos. Seu médico precisa monitorar cuidadosamente sua pressão arterial durante a gravidez e poderá prescrever certos medicamentos para ajudar.

Isso pode incluir tratamento com anticoagulantes, como heparina, que pode ajudar a impedir a formação de coágulos, ou simplesmente aspirina em baixas doses. Você provavelmente terá mais exames pré-natais que incluem ultrassonografias e monitoramento da frequência cardíaca fetal para garantir que seu bebê esteja se desenvolvendo normalmente.

Mais Informações sobre este assunto na Internet:
Diga Adeus às suas Dores.
Reserve a sua Consulta de Hematologia.