Coágulos Após a Escleroterapia. Escleroterapia é uma opção de tratamento para varizes e vasinhos caracterizada pela destruição de veias anormais e danificadas que, consequentemente, não funcionam adequadamente após a solução injetada irritar o revestimento do vaso sanguíneo, fazendo com que coagule.

Então, isso significa que é normal o surgimento de coágulos depois que o procedimento é realizado? Continue a leitura e saiba se é Preciso se Preocupar com Coágulos após a Escleroterapia.

Coágulos Após Escleroterapia

Devido ao seu modo de funcionamento, a Escleroterapia pode causar coágulos de sangue como parte natural do processo de cicatrização, então, normalmente, não há necessidade de se preocupar com esse tipo de coagulação.

Mas assim como acontece com este procedimento em questão, existem algumas opções de tratamento para varizes (ablação endovenosa a laser e por radiofrequência, por exemplo) que igualmente podem resultar na sua formação, com uma chance mínima de desenvolvimento de TVP (trombose venosa profunda).

Porém, são questões distintas: o primeiro se forma dentro de uma veia profunda em resposta a uma lesão (corte ou resultado de um procedimento, por exemplo), que se dissolve naturalmente pelo corpo após a cura.

Já a segunda, é um tipo de coágulo que desenvolve-se nas veias profundas, bloqueando parcialmente o fluxo de sangue, com chance de se desprender e alojar-se nos pulmões, provocando uma embolia pulmonar.

Tipos de Coágulos

Diga Adeus às suas Dores.
Reserve a sua Consulta de Hematologia.

Além da TVP, existem outros tipos comuns de coágulos sanguíneos, que incluem:

  • Superficiais ou flebite: comuns depois de uma lesão ou cirurgia, aparecem abaixo da pele nas veias varicosas e causam danos aos vasos de sangue;
  • Embolia pulmonar: sua formação ocorre nas pernas, mas viajam aos pulmões por meio da corrente sanguínea, impedindo a circulação adequada.

Segurança da Escleroterapia

Por se tratar de uma resposta natural ao procedimento, conforme explicado brevemente, o surgimento de coágulos após o tratamento não indica uma preocupação ao paciente, porque acabam sendo decompostos pelo corpo e reabsorvidos, e a solução injetada é diluída pelas veias maiores, movendo-se e evitando o surgimento de coágulo.

Escleroterapia como Opção de Tratamento

Logo, seja para tratar varizes ou vasinhos, a Escleroterapia se trata de uma alternativa ambulatorial minimamente invasiva que ajuda a eliminar ou reduzir os pequenos e médios vasos que estão aparentes na pele do paciente, que é uma queixa comum de quem tem vasinhos.

Isso acontece porque envolve a injeção de uma solução diretamente na veia (no caso das varizes) com o intuito de forçar o sangue a redirecionar o seu fluxo para as veias saudáveis, sendo que, em seguida, a veia tratada é reabsorvida no tecido local e acaba desaparecendo.

Portanto, apesar de se tratar de um tratamento seguro e os coágulos acabarem desaparecendo naturalmente, é fundamental continuar o acompanhamento com o médico especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular para verificar se não há chance de evoluir para um caso de TVP, por exemplo, que tem como sintomas edema (inchaço nas pernas), dor, sensibilidade e descoloração azul ou vermelha da pele.

Assim como é o profissional capaz de analisar cada caso e indicar o melhor tratamento com base no quadro e na saúde geral apresentada, confirmando ou não a Escleroterapia como a opção ideal para a sua necessidade.

Mais Informações sobre este assunto na Internet:
Sinta suas Pernas Leves Novamente.
Agende uma Consulta com o Especialista Vascular.