Como Melhorar a Insuficiência Venosa. Insuficiência Venosa é uma condição vascular caracterizada pela dor e pelo inchaço nos membros inferiores, e por acometer a circulação sanguínea das veias dos membros inferiores, o que acaba comprometendo o fluxo de retorno ao coração e impactando na possibilidade de cura, que depende da gravidade e do estágio em que a condição se encontra.

Entretanto, normalmente, a médica especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular tende a indicar, a princípio, um tratamento conservador para aliviar os sintomas apresentados, que podem ser coceira, desconforto e sensação de queimação, por exemplo.

Como Melhorar a Insuficiência Venosa

A insuficiência venosa acontece quando as válvulas responsáveis por direcionar o fluxo sanguíneo das pernas para as veias profundas não funcionam adequadamente, resultando na presença de pressão nas paredes das veias e no acúmulo de sangue local ou por causa de um bloqueio.

Devido ao fato de a cura não ser uma realidade para todos os pacientes, o profissional tende a trabalhar com uma proposta de tratamento, em que os objetivos são planejados levando em consideração as variáveis e o caso individualmente. Por isso, o tratamento pode estar associado a uma cura total ou parcial, e a uma melhora da insuficiência venosa.

Sendo assim, as pessoas que apresentam quadros leves, normalmente, recebem a indicação, pela médica especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular, de usar medicamentos prescritos e meias de compressão conforme especificação, e inserir ou manter hábitos saudáveis e condizentes com a sua realidade.

Levando em consideração os casos mais avançados, como os pacientes que têm úlceras venosas ou varizes pronunciadas, as chances de cura total sofrem alterações e, em algumas situações, o tratamento é voltado para que haja uma melhora significativa na qualidade de vida e redução das complicações.

Opções de Tratamento

Pernas Inchadas?
Agende uma Avaliação Vascular e Redefina seu Conforto.

Conforme explicado, a disponibilidade de tratamento e as chances de alcançá-lo dependem da gravidade do quadro e das necessidades de cada um, assim como sofre influência do estágio da insuficiência venosa, da presença de complicações e da resposta do paciente.

Mas as principais opções envolvem:

  • Alteração ou manutenção do estilo de vida saudável: inclui o peso indicado por um profissional, a prática constante de exercícios, a alimentação balanceada, redução ou eliminação de medicamentos à base de hormônios, e evitar o tabagismo, as roupas apertadas, os saltos e permanecer por um período prolongado de tempo na mesma posição;
  • Medicamentos: desde que seja respeitada a prescrição, que pode ser somada a cremes específicos, o objetivo é auxiliar no alívio de dor, inflamação e edema;
  • Medidas conservadoras: destinadas aos casos iniciais, em que as propostas são alívio dos sintomas e melhora da circulação, incluem a elevação das pernas, prática regular de atividades físicas e o uso de meias de compressão específicas;
  • Procedimentos a laser: a técnica transdérmica é indicada para eliminar veias de pequeno calibre, melhorando o quesito estético e os sintomas;
  • Procedimentos cirúrgicos: voltados aos casos mais avançados para remoção das veias afetadas,
    Procedimentos minimamente invasivos: como a escleroterapia e esclerose, em que ocorre a injeção da substância escolhida na(s) veia(s) comprometida(s), que, geralmente, são de menor calibre e em casos de varizes.

Causas e Fatores de Risco

Diante disso, é fundamental se atentar às causas de falha das válvulas das veias, que incluem ausência de válvula venosa desde o nascimento, fraqueza da parede da veia, história de coágulos de sangue ou TVP (trombose venosa profunda), e varizes hereditárias ou por trauma ou lesão.

Sem contar que é igualmente válido considerar os fatores de risco, responsáveis por aumentar as chances de desenvolvimento da insuficiência venosa e de seu agravamento, tais como:

  • História de trombose ou compressão venosa;
  • História familiar da condição;
  • Idade avançada;
  • Múltiplas gestações;
  • Obesidade;
  • Permanecer por período prolongado de tempo na mesma posição;
  • Sedentarismo;
  • Ser do sexo feminino;
  • Tabagismo;
  • Uso de anticoncepcionais;
  • Uso frequente de saltos.

Por isso, invista em consultas regulares e check-ups, priorize a manutenção de acompanhamento periódico com a médica especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular, tenha conhecimento sobre fatores que possam ser considerados de risco para o quadro ou demais condições vasculares, e adote ou mantenha os hábitos recomendados, por exemplo, para que tenha a chance de melhorar a Insuficiência Venosa.

Mais informações sobre este assunto na Internet:
Pernas Inchadas?
Agende uma Avaliação Vascular e Redefina seu Conforto.