Embolia Pulmonar e Exercícios. Após ter Embolia Pulmonar, que acontece quando um coágulo de sangue se move aos pulmões, alguns cuidados são necessários e indicados ao paciente, e um deles se refere à prática de exercícios.

Sendo que as dúvidas e os questionamentos tendem a incluir o momento de retornar ou iniciar a prática; quais atividades são seguras e os sintomas que podem ser sentidos durante os exercícios, por exemplo.

Então, continue a leitura e saiba detalhes sobre a possibilidade de um paciente poder fazer exercícios após ter sido diagnosticado com Embolia Pulmonar (EP).

Relação Entre Embolia Pulmonar e Exercícios

Conforme mencionado brevemente, a embolia pulmonar se trata de uma condição em que o coágulo de sangue formado em uma região do corpo se move por meio da corrente sanguínea e se fixa nos vasos pulmonares, fazendo com que aconteça uma restrição do fluxo para o órgão, redução dos níveis de oxigênio e um aumento da pressão sanguínea nas artérias locais.

Sendo assim, a pessoa pode sentir falta de ar, dor no peito e ficar fatigada com mais facilidade ao começar a se exercitar. Com isso, é fundamental que seja feita uma análise pelo médico especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular com o intuito de verificar o tipo e a gravidade do quadro, em que momento o diagnóstico e tratamento foram feitos, entre outros fatores que interferem na qualidade de vida do paciente, tais como idade e saúde geral.

Em seguida, ele pode orientar sobre o início ou retorno aos exercícios, e o melhor momento de fazê-lo, que é recomendado para evitar que novos episódios de EP surjam. Além disso, essa prática igualmente auxilia na melhora dos sintomas com o passar do tempo e do condicionamento físico.

Recomendações Gerais

Diga Adeus às Dores nas Pernas.
Reserve a sua Consulta Vascular.

A princípio, fazer caminhada e exercícios são práticas seguras, mas o ideal é que cada um escute o seu corpo para evitar um esforço excessivo. Por isso, no geral, a orientação é começar pela caminhada, de preferência, em uma rota plana, próxima à sua casa e que tenha lugares para descansar durante o trajeto.

Sem contar que precisa se atentar ao tempo do percurso e à frequência da caminhada. E apesar de ser necessário priorizar as orientações médicas, pode ser aconselhado a investir em:

  • 5 minutos de caminhada, de 3 a 4 vezes por dia, na primeira semana;
  • 10 minutos, por 3 vezes ao dia, na semana 02;
  • Caminhada por 15 minutos, por 2 vezes ao dia, na semana 03.

Mas para quem deseja atingir o objetivo de caminhar de 30 a 45 minutos, de 5 a 7 dias na semana, o recomendado tende a incluir o treinamento de força, retornando à sua rotina caso já tenha um programa pronto.

Em relação aos iniciantes, é essencial procurar um especialista para que os treinos sejam elaborados de acordo com as suas metas e necessidades, que podem incluir a prevenção de embolia pulmonar, assim como outras doenças, a exemplo de TVP (trombose vascular profunda).

Sendo assim, o ideal é que o paciente mantenha o acompanhamento com o seu médico especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular e os demais profissionais com que faz acompanhamento para que seja feito um monitoramento dos exercícios após a EP.

Com isso, conseguem observar a evolução do condicionamento físico, o quadro clínico geral, a possível existência de sintomas, estar atentos em caso de um novo episódio da embolia pulmonar, evitar ou diminuir os riscos de surgirem outros problemas de saúde, e indicar as atividades mais apropriadas para cada caso.

Mais Informações sobre este assunto na Internet:
Diga Adeus às suas Dores.
Reserve a sua Consulta de Hematologia.