O Que São Aneurismas Venosos? – Os aneurismas venosos são malformações vasculares incomuns, que ocorrem igualmente entre os sexos e são observadas em qualquer idade. A maioria dos pacientes percebe uma massa dolorosa sob a pele e busca auxílio médico. Em muitos casos, entretanto, o diagnóstico é obtido após causar embolia pulmonar, especialmente quando localizado na extremidade inferior do corpo.

Neste artigo, você saberá mais informações sobre esta condição, seus tipos e formas de tratamento.

Os Aneurismas Venosos

O Que São Aneurismas Venosos?

A palavra aneurisma vem do grego, significando “um alargamento”. Assim, um aneurisma venoso é uma dilatação de uma veia. A parede é geralmente esticada ou enfraquecida, tornando maior o risco de ruptura. Os aneurismas venosos são raros e suspeitos de serem causados ​​por defeitos congênitos, alterações degenerativas ou inflamatórias.

As veias mais comuns relatadas como aneurismáticas são a veia cava superior (que drena o sangue que vem da cabeça e dos membros superiores ao coração) e as veias poplíteas (que carregam sangue da articulação do joelho e músculos na coxa e da porção posterior da panturrilha em direção ao coração).

Existem dois tipos de aneurismas: “saculares” e “fusiformes”. Um aneurisma sacular é uma dilatação que aparece como um saco em uma seção das paredes dos vasos. Um fusiforme é uma dilatação alongada em forma de fuso das paredes da veia.

Nas extremidades superiores e veias do pescoço, o aneurisma raramente é relatado, uma vez que permanece assintomático e sem relevância clínica. Dor e sensibilidade foram descritas como sintomas associados ao aneurisma da veia jugular, mas nenhuma complicação grave foi relatada.

 Tipos – Aneurismas Venosos

  • Aneurismas venosos do pescoço e face – Esses aneurismas são raros e geralmente congênitos. A veia jugular interna é o local mais comum. A maioria dos aneurismas desse tipo já foi descrita em adultos jovens e crianças. Eles representam cerca de um terço de todos os aneurismas. Um aneurisma venoso do pescoço apresenta-se como uma massa macia e compressível que aumenta o esforço expiratório com a glote fechada. A história natural desses aneurismas é benigna e a indicação da cirurgia é muitas vezes por razões estéticas.
    • Aneurismas venosos torácicos – Cerca de 60 casos foram relatados, envolvendo na maioria das vezes a veia cava superior. Embora na maioria dos casos esses aneurismas sejam grandes, com um diâmetro médio de 6 a 7 cm, eles geralmente são assintomáticos e encontrados incidentalmente durante exames de imagem. Um aneurisma de alargamento pode produzir sintomas como dor torácica e/ou dispneia. Complicações tromboembólicas e ruptura do aneurisma são eventos extremamente raros.
  • Aneurismas venosos abdominais – Embora qualquer uma das veias abdominais possa ser afetada, os locais mais frequentes são a veia porta e a veia mesentérica superior. Os aneurismas da veia porta geralmente são sintomáticos e o sangramento gastrintestinal é o principal sintoma.
    • Aneurismas venosos das extremidades inferiores – Este é o local mais frequentemente relatado na literatura, e há uma grande variedade de apresentações clínicas. A veia poplítea é de longe o local mais comum, seguida da veia femoral e da veia safena magna. O diagnóstico é raramente clínico; em vez disso, esses aneurismas tendem a ser descobertos incidentalmente durante a investigação para doença tromboembólica ou na ultrassonografia com Doppler para doença venosa crônica.

Causas – Aneurismas Venosos

A possível causa para o desenvolvimento de um aneurisma venoso já foi descrita como processo de degeneração, resultando em afinamento das camadas elásticas e musculares na parede venosa normal, após estresse mecânico prolongado. Obstrução venosa mecânica e defeitos congênitos foram descritos em crianças e invasão venosa neurofibromatosa em adultos.

Sintomas

Os sintomas dependem da localização do aneurisma. Pacientes que apresentam aneurismas do sistema profundo queixam-se de dor nas extremidades associada a uma massa e inchaço ocasional, mas sem edema.

Aneurismas do sistema superficial apresentam dor e massas associadas a edema moderado. Além disso, pacientes com aneurismas venosos superficiais apresentam edema nas extremidades. Em contraste, a maioria dos pacientes que apresentam aneurismas na veia jugular interna ou na veia axilar apresenta massas assintomáticas.

Diagnóstico e Tratamento

A maioria dos aneurismas venosos localizados no sistema venoso superficial é palpável e facilmente comprimida. Isso pode sugerir o diagnóstico. No entanto, em vários relatos, o diagnóstico não foi feito até a exploração cirúrgica.

Na grande maioria das situações, existem múltiplas modalidades diagnósticas, como a venografia, ultrassonografia tridimensional e quadridimensional, tomografia computadorizada e ressonância magnética. Estes exames fornecem informações para o delineamento da anatomia venosa e nenhum método único de diagnóstico foi relatado como superior ao outro.

Existem várias razões para recomendar o tratamento cirúrgico da maioria dos aneurismas venosos. Potencial propensão para ocasionar outras doenças e morte são as mais convincentes.

O método de tratamento é geralmente ditado pela localização anatômica. Aneurismas da veia jugular interna podem ser tratados pela observação e raramente requerem retirada. O Aneurismas do sistema venoso superficial, no entanto, devem ser retirados. Aneurismas do sistema profundo apresentam um desafio mais complexo.

necessidade de reconstrução venosa após a retirada cirúrgica de  um aneurisma venoso depende da sua localização.

Aneurismas venosos do sistema venoso superficial podem ser tratados por ligadura e excisão simples. Em pacientes com trombose venosa profunda prévia ou síndrome de Klippel-Trenaunay, o exame de flebografia pré-operatória deve ser realizado para garantir a continuidade do sistema venoso profundo.

Complicações tromboembólicas são comuns em aneurismas envolvendo o sistema vascular profundo. Assim, um rápido diagnóstico é importante para um tratamento efetivo.