Diagnóstico de Trombose. Assim como acontece em diversas condições médicas, o diagnóstico deve ser devidamente providenciado para que o tratamento inicie o quanto antes, facilitando na melhora geral do paciente e, consequentemente, evitando possíveis complicações.

Diante disso, o que deve ser levado em consideração em relação a um quadro de Trombose? Quais sinais merecem atenção? Ao que o médico especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular se atenta?

Continue acompanhando este artigo para saber as respostas para tais questionamentos e como é Realizado o Diagnóstico de Trombose.

Indícios para o Diagnóstico de Trombose

A trombose é caracterizada pela formação de coágulo sanguíneo em uma ou mais veias localizadas, principalmente, nos membros inferiores, bloqueando o fluxo de sangue e provocando sintomas como dor e inchaço na região acometida, assim como pode resultar em complicações a curto ou longo prazo.

E se torna comum em pessoas com determinadas características, tais como, ser do sexo feminino entre 20 e 40 anos, níveis de colesterol no sangue, longas hospitalizações, sedentarismo, peso, tabagismo e ingestão de álcool.

Sintomas Característicos

Apesar de, em sua maioria, não apresentar sintomas, algumas pessoas tendem a manifestar sintomas característicos da trombose, sendo eles:

  • Alteração na coloração cutânea;
  • Dor nos membros inferiores;
  • Edema na perna afetada;
  • Queimação localizada.
Sinta suas Pernas Leves Novamente.
Agende uma Consulta com o Especialista Vascular.

Ao identificá-los, uma consulta deve ser agendada para que as demais etapas do diagnóstico possam ser providenciadas, o que inclui a solicitação e realização de exames laboratoriais (hemograma completo) e de imagem, tais como, ultrassom, eco-doppler, tomografia e ressonância magnética.

Análise Médica

Posteriormente, o médico observa em qual tipo o quadro do paciente se enquadra, podendo ser uma trombose:

  • Aguda: normalmente, é controlada pelo próprio organismo, ou seja, não depende de uma intervenção médica. Logo, inicialmente, toda trombose é considerada desta forma;
  • Crônica: deve ser tratada por um profissional, porque ficam sequelas que destroem a estrutura das válvulas durante o processo natural de dissolução do coágulo, o que acaba comprometendo o retorno sanguíneo e, consequentemente, podem surgir varizes, inchaço, endurecimento cutâneo e escurecimento.

Assim como igualmente varia, com base na maneira como se manifesta, entre trombose:

  • Arterial: trombos formados nas artérias, o que acaba bloqueando-as;
  • Hemorroidária: quando há o desenvolvimento de um nódulo com edema e de coloração arroxeada;
  • Venosa Profunda (TVP): considerada a trombose mais comum, se trata da formação de um coágulo sanguíneo em uma ou mais veias das pernas.

Enquanto isso, um estudo sobre a saúde geral do paciente igualmente é feito, após análise clínica e de exames, se necessário, para que seja possível indicar as opções de tratamento e, em conjunto, decidirem sobre a melhor abordagem a ser feita diante do quadro apresentado.

Logo, para reabsorção do(s) coágulo(s) pelo organismo, podem ser recomendados medicamentos anticoagulantes e os fibrinolíticos, responsáveis por auxiliar na dissolução dos trombos, ou mesmo uma intervenção cirúrgica, mas somente em casos específicos.

Assim como ainda tende a recomendar medidas para prevenir a formação de coágulos, tais como, manter o peso ideal conforme a orientação do especialista, restringir a ingestão de álcool, praticar exercícios físicos regularmente e não fumar.

Por isso, ao ter ciência dos fatores de risco e/ou apresentar sintomas como os descritos acima, é fundamental procurar o médico especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular de sua confiança para que a devida análise seja feita e o diagnóstico de trombose confirmado.

Mais informações sobre este assunto na Internet:
Diga Adeus às Dores nas Pernas.
Reserve a sua Consulta Vascular.